Pesquisar este blog

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Aprovado Projeto de Lei que possibilitará que alunos da rede pública de ensino do Estado possam dispor de orientação psicológica

A Assembleia Legislativa do Amapá aprovou nesta terça-feira (7) o Projeto de Lei (PL), de autoria da deputada estadual Janete Tavares (PSC), que dispõe sobre a implantação do Programa de Orientação Psicológica Voluntária nas Escolas Públicas do Estado do Amapá. De acordo com o PL, as faculdades e universidades públicas e privadas que aderirem ao programa disponibilizarão estudantes da área de psicologia, ingressos no último ano do curso, para estagiar gratuitamente nas escolas estaduais, auxiliando no acompanhamento psicológico dos estudantes do ensino médio.

Segundo a matéria, o Poder Executivo, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Semed), realizará o cadastramento das faculdades e universidades interessadas em aderir ao Programa de Orientação Psicológica Voluntária, e regulamentará as regras do estágio voluntário, observando as disposições da legislação de estágio vigente. Outro aspecto bastante relevante do PL é que o tempo de estágio prestado pelo estudante contará como pontuação para critério de desempate em concursos e processos seletivos públicos realizados pelo Estado do Amapá, referentes a vagas de cargos e carreiras da área de psicologia, a ser definido pelo órgão ou entidade realizadora do concurso.

Ficará facultado às faculdades e universidades utilizarem as atividades desenvolvidas no Programa de Orientação Psicológica Voluntária como atividade acadêmica complementar em sua grade curricular. Segundo a deputada Janete Tavares, o Projeto de Lei se justifica pelo fato de que, na atualidade, muitos jovens apresentam falta de interesse na aprendizagem, principalmente aqueles que utilizam a rede pública de ensino, demonstrando dificuldades de concentração, criando um alto índice de defasagem escolar, bem como problemas de socialização, prejudicando a eficiência acadêmica e, como consequência, desencadeando o interesse pelo consumo de drogas e a violências em geral.

Desta forma, a figura do acadêmico de psicologia, devidamente supervisionado, se faz essencial para avaliar, observar e propor tratamento específico, bem como soluções cabíveis que auxiliem na formação social do aluno como cidadão.


AGÊNCIA DE NOTÍCIAS - Alap
Texto: Gabinete Deputada Janete Tavares
Fotos: Jaciguara Cruz
Portal: al.ap.gov.br
Blogger: casadeleis.blogspot.com
Facebook: Assembleia Legislativa do Amapá
Instagram: assembleia_noticias
TV Assembleia: 57.2
Rádio Assembleia: 93.9 FM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deputada Marilia articula projeto de práticas restaurativas nas escolas da rede pública

Para contribuir com o processo de resolução de conflitos nas escolas, órgãos públicos do estado trabalham em conjunto no desenvolvimento ...