Pesquisar este blog

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Deputada alerta para problemas decorrentes da falta de professores na rede estadual

Marilia Góes volta a cobrar do GEA solução para a carência de professores nas escolas públicas estaduais, para evitar danos irreversíveis aos alunos
A deputada estadual Marilia Góes, líder do PDT na Assembleia Legislativa, voltou a cobrar providências do Poder Executivo para resolver o problema da falta de professores na rede estadual de educação pública, que ocorre em algumas escolas desde 2011. Usando a tribuna na sessão ordinária desta segunda-feira (12), a parlamentar lamentou que a situação ainda não esteja resolvida, a despeito das seguidas cobranças feitas à Secretaria de Estado da Educação (Seed), por ela e por outros parlamentares.
Marilia mencionou, a título de exemplo, os casos das escolas Nilton Balieiro e Santina Rioli, onde os alunos da quinta série ainda não tiveram aulas de matemática este ano. Ela lembrou que a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, da qual é membro, visitou a Escola Nilton Balieiro em junho passado, constatando, na época, um déficit de 17 professores. Hoje, depois de nova visita, o déficit subiu para 25 educadores.
“É inadmissível que crianças e jovens amapaenses estejam sendo tolhidas do direito ao aprendizado”, criticou a deputada, garantindo que após a visita da Comissão, em junho, um requerimento foi encaminhado à Seed, pedindo informações sobre a carências de professores por escola. Além disso, a própria parlamentar ligou para a secretária de Educação, Elda Gomes Araújo, pedindo informações e solicitando uma audiência, não tendo sido atendida até a presente data.
“Recebemos de resposta da Seed, um ofício assinado pela chefe de gabinete, Regina Lúcia Valente, dizendo que a secretaria estava ciente da falta de professores na Nilton Balieiro, e que o problema atingia um grande número de escolas, mas que estavam sendo tomadas as providências, para que até o início de agosto a situação estivesse resolvida em todas as escolas. Mas já estamos no dia 12 de agosto, e o que vemos é que a situação ficou ainda mais precária”, enfatizou Marilia.
A parlamentar considera que a falta de professores, somada ao atraso no calendário escolar provocado pelas greves na educação, resultantes da intransigência do governador Camilo Capiberibe (PSB) com a classe dos educadores, está trazendo graves prejuízos aos alunos das escolas estaduais amapaenses.
“São prejuízos irreversíveis, porque dificultam a transmissão do conteúdo programático, o que compromete o resto da vida escolar dos alunos”, analisa a deputada.
Em aparte ao discurso de Marilia Góes, parlamentares lembraram que o Legislativo autorizou o governador a contratar profissionais da educação por meio de contratos administrativos, para enfrentar o problema da carência de professores. “A falta de professores atinge o Estado inteiro. Em Laranjal do Jari os alunos nem têm notas do primeiro bimestre em algumas disciplinas, porque simplesmente não tiveram aulas”, criticou a deputada Raimunda Beirão.
De acordo com a presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, deputada Roseli Matos, na manhã desta terça-feira (13) a comissão irá se reunir, para mais uma vez cobrar celeridade e atenção especial para a educação pública amapaense. Os membros da comissão também devem decidir sobre a convocação da secretária de Educação para prestar esclarecimentos ao Legislativo sobre a carência de professores na rede estadual.


Ariele Martins
Jornalista
Contatos: (96) 8111-5260/ 9155-7974

Atualização: Rômulo Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deputada Marilia articula projeto de práticas restaurativas nas escolas da rede pública

Para contribuir com o processo de resolução de conflitos nas escolas, órgãos públicos do estado trabalham em conjunto no desenvolvimento ...